Publicado em

Como escolher um bom smartphone?

O smartphone é sem dúvida o eletrônico mais complexo que existe. É um computador potente dentro de um corpo pequeno, que precisa ter uma tela de qualidade, ser leve, ter um design atraente, ser resistente, uma conexão com a internet veloz, boa autonomia de bateria e tirar fotos incríveis. É uma máquina complexa e uma tecnologia que evolui com extrema rapidez. Não é à toa que os principais fabricantes lançam novos modelos com tecnologias inovadoras todos os anos e muitas pessoas trocam de aparelho anualmente. É um mercado em rápida evolução e extremamente competitivo – difícil de acompanhar. Mas calma, vamos te ajudar a entender qual o melhor smartphone para você!

Para escolher o smartphone ideal, você precisa entender qual o seu perfil de uso e quais as suas prioridades no aparelho. Você quer uma câmera potente? Ou hardware de alta performance? Você precisa de uma tela grande e de alta resolução para ver filmes? Ou prefere um aparelho leve e prático para carregar no bolso?

Pense nas suas prioridades no uso e analise as características abaixo para encontrar qual o melhor smartphone para você:

Tamanho de tela:

escolher tamanho smartphone
Os celulares possuem telas de diferente tamanhos, desde os pequenos de 3.5’’ até os phablets com mais de 5’’, podendo chegar até 6’’. Lembrando que uma polegada é igual a 2,54 cm e o tamanho de tela é medido na diagonal, do canto direito inferior para o canto esquerdo superior.

O tamanho de tela interfere muito no uso do celular. Uma tela grande será boa para ver vídeo e jogar games, além de ser mais confortável de digitar. Por outro lado, uma tela grande exige um smartphone grande, que pode ser ruim de segurar apenas com uma mão, não caber no bolso e ser muito pesado.

Tipo de tela:

telas de smartphone
Talvez mais importante que o tamanho da tela, seja verificar o tipo de tela para saber qual o melhor smartphone pra você. O tipo de tela vai ser responsável por criar imagens com brilho, contraste e cores mais reais. Há várias tecnologias de tela, desde as LCD, OLED, AMOLED, Super AMOLED e IPS. As telas LCD utilizam cristais líquidos e uma camada de luzes por trás (normalmente de LED). As IPS são telas de LCD que utilizam uma tecnologia para organizar o cristal líquido de forma que a reprodução de cores fica mais fidedigna e melhora o ângulo de visão.

A tela OLED utiliza Diodos Orgânicos no lugar dos cristais e não precisam de backlight para emitir luz, já que os compostos orgânicos emitem sua própria luz. Por isso, a tela consome menos bateria e produz cores com maior fidelidade e contraste. A tela AMOLED utiliza a mesma tecnologia, mas a cor preta é “criada” com diodos desligados, o que torna o contraste ainda melhor.

Resolução:

resolucao
A resolução tem a ver com quantidade de pixels – a menor unidade de informação de uma tela, que emite apenas uma cor. Há telas de 128×128 pixels – extremamente baixas. Assim como há opções com resolução 4K (3840 x 2160). Em geral, uma resolução alta é melhor pois uma quantidade grande de pixels cria imagens mais nítidas. Porém, na verdade, o que torna uma imagem mais nítida e faz com que não seja possível ver o “quadriculado” dos pixels é a densidade de pixel.

Um resolução 3840 x 2160 faz todo diferença em uma TV com tela grande. Porém, em um smartphone, é difícil perceber a diferença entre uma tela Full HD e 4K. Para espremer tantos pixels em um espaço tão pequeno eles se tornam tão pequeno que o olho humano não é capaz de perceber.

Seguindo essa lógica, os smartphones da Apple não usam os padrões HD (1280 x 720 pixels), Full HD (1920 x 1080 pixels) e 4K. Eles utilizam 326 ppi (pixels per inch) – uma densidade de pixel que supera a capacidade de distinção do olho humano. A quantidade de pixels em si varia de acordo com o tamanho da tela, mas sempre mantendo os 326 ppi.

Câmera:

camera smartphone
As câmeras dos smartphones estão ficando cada vez melhores e mais complexas. O número de megapixels é importante, pois determina o número de pixels que a imagem vai ter. Além disso, é importante levar em consideração a abertura, representada pela letra “f”, que determina o tamanho do obturador e a quantidade de luz que irá entrar; a velocidade, que determina o tempo que o obturador fica aberto; o ISO, que é a sensibilidade do sensor da câmera; e o foco, que pode ser por contraste ou laser – sendo o segundo mais rápido e nítido.

Ainda há outras tecnologias extras que alguns modelos oferecem como HDR, que ajuda a registrar imagens com intensidade de luz diferentes; a estabilização eletrônica ou óptica de imagem, que tenta evitar imagens tremidas e sem foco; as lentes, que podem ser de melhor ou pior qualidade; a resolução de gravação de vídeo.

Leia também:

Os 7 melhores smartphones para viajantes
Smartphone e TV precisam ser compatíveis?
Os smartphones com as melhores câmeras do mercado

Processador:

processador smartphone
O processador é o cérebro do aparelho, fundamental para que o smartphone funcione com agilidade e fluidez, sem lentidão e sem travar. Para escolher um bom processador, você precisa analisar o número de núcleos que o processador possui (dual core, quad core, octa core) e a velocidade dele, que pode ser 1 GHz, 1.5 GHz. Em ambos os casos, quanto mais melhor.

Memória RAM:

smartphone memoria ram
Junto com o processador, a Memória RAM é a principal especificação relacionada ao bom funcionamento do smartphone. É a memória RAM que armazena os programas e arquivos que estão abertos e permite que eles rodem com rapidez. Um celular com menos de 1 GB de RAM deve apresentar bastante lentidão. Em geral, os smartphones intermediários estão equipados com memórias de 2 GB.

GPU (Placa de vídeo):

gpu smartphone
Alguns smartphones possuem placas de vídeo, normalmente descrita como GPU. Um smartphone equipado com GPU possui melhor renderização de gráficos, com imagens mais fieis e velozes. Um smartphone com GPU é interessante para quem gosta de jogar games no celular ou ver vídeos em alta resolução.

Armazenamento:

micro sd smartphone
O armazenamento do celular vai ser responsável por guardar os aplicativos, fotos, músicas e vídeos que você tiver. A importância de uma capacidade grande de armazenamento vai depender do seu estilo de uso. Se você gostar de ter muitos apps e muitas músicas no celular e não tem paciência para ficar passando as fotos para o computador para deletar do aparelho, você precisa de muitas gigas disponíveis.

Atualmente, a maioria dos celulares aceitam cartão microSD, que normalmente expande o armazenamento em até 128g, então é possível resolver o problema de “pouco espaço” com facilidade. Porém, é importante ficar atento a modelos que não aceitar cartão de memória, como o iPhone.

Sistema operacional:

sistemas smartphone
Os smartphones podem vir com três sistemas operacionais: iOS, Android e Windows Phone. O iOS é o famoso sistema operacional da Apple e está presente apenas nos iPhones. Ele é intuitivo e ágil, mas bastante restrito em termos de personalização. O Android é o sistema mais utilizado no mundo, com maior número de aplicativos e facilmente customizável. Infelizmente, ele também é o mais vulnerável à vírus. O Windows Phone é o mais recente e menor em número de usuários, ele possui uma interface bastante diferenciada e ótima integração com os programas da Microsoft. Para saber qual o melhor smartphone destes três, analise o que é mais importante para você.

Bateria:

bateria smartphone
A capacidade de armazenamento de uma bateria é medida em miliamperes (mAH) – quanto mais, melhor. Porém, mais do que o número, é preciso levar em consideração se o modelo consome muita bateria. Um smartphone com tela maior, painel LCD e um processador potente deve gastar mais bateria que um smartphone mais básico.

Os smartphones intermediários mais recentes estão equipados com bateria de pelo menos 2900 mAh.

Resistência:

smartphone resistente
Por ser um aparelho móvel, o smartphone sofre muito com quedas, umidade e sujeira. Em função disso, estão surgindo modelos resistentes à água (o que quer dizer que sobrevive a uma água derramada, não que pode tirar fotos em baixo d’água), à prova d’água e resistentes à poeira. Além disso, há telas resistentes a choques, como as Gorilla Glass e a nova Moto ShatterShield. Estas telas não devem quebrar ou rachar – ideal para os mais distraídos.

Qual o melhor smartphone?

Essas são as principais características de um smartphone. É importante conhecer estes pontos para saber como escolher o melhor smartphone para você e o primeiro passo é entender o que é importante para o seu perfil de uso e por quais tecnologias vale a pena pagar. Depois, também é importante levar em consideração o design – que normalmente é uma escolha bastante pessoal. Boas compras!

Está procurando um Smartphone novo?

Deixe seu email e seja convidado para o pré-lançamento do Assistente para Smartphones!
[mc4wp_form id=”168075″]

Publicado em

Android, iOS ou Windows Phone – Qual o melhor smartphone?

Na hora de procurar o melhor smartphone, as pessoas costumam se preocupar com a marca, o hardware e o design, mas dificilmente analisam os sistemas operacionais. Só que o sistema operacional é o principal responsável pela experiência do usuário! Ele é o canal de interação do usuário com o aparelho e pode fazer toda a diferença em relação a agilidade do aparelho e a disponibilidade de aplicativos.

Se fosse possível utilizar o mesmo modelo de celular com iOS, Windows Phone e Android, daria pra perceber como o sistema operacional muda a experiência do usuário. Um sistema oferece mais aplicativos, enquanto outro disponibiliza apps mais confiáveis. Um possui um assistente pessoal mais inteligente e o concorrente é menos vulnerável a vírus. Ainda tem aquele que é super personalizável e a outra opção que é completamente fechada.

Cada um dos três sistemas operacionais possuem suas características próprias e combinam mais com um tipo de usuário. Conheça melhor os três grandes sistemas operacionais de smartphone e entenda qual se adequa melhor ao seu perfil:

Smartphones Android

android smartphone

O Android é o sistema operacional do Google, campeão em número de usuários – há mais de um bilhão de aparelhos ativos com o sistema! O Android possui código-fonte aberto e é licenciável, então qualquer fabricante que atender os pré-requisitos do Google pode utilizá-lo. Por isso, ele é utilizado em celulares de diversos fabricantes como Samsung, Motorola, LG, Sony e Asus.
É possível encontrar o sistema Android em um modelo de entrada, como um Positivo S420, que custa menos de R$ 300, e o no Galaxy S7, o top de linha da Samsung, que custa R$ 2,8 mil.

O Android é facilmente personalizável – um grande ponto a favor para quem gosta de organizar as coisas do seu jeito. É possível mudar temas, fontes, ícones, cores, teclados, etc. Além disso, os fabricantes costumam adaptar o sistema, criando uma versão para os seus aparelhos – o que quer dizer que você pode encontrar diferenças no sistema de um celular Samsung e um Motorola.

Os smartphones Android trazem o assistente pessoal Google Now. O usuário pode falar com ele dizendo o comando de voz “Ok, Google” e fazer perguntas, pedir recomendações, lembretes e controlar atividades, como ligar para um contato.

google now

O sistema é atualizado frequentemente (muitas vezes para ser mais seguro contra esses vírus), mas como as atualizações são liberadas pelos fabricantes, podem demorar mais em alguns modelos. Além disso, se você possui um smartphone básico, deve ter problema para rodar a versão mais recente do sistema, assim como os aplicativos mais modernos.

Aplicativos Android

A interface do Android é bastante intuitiva. Alguns aplicativos (o usuário escolhe quais) ficam expostos em ícones na tela principal, como programas na área de trabalho de um computador. Os outros, podem ser encontrados ao selecionar a área de apps, que normalmente é acionada no ícone de círculo com seis pontos, que costuma ficar na parte inferior da tela. As configurações de internet, alarmes, brilho de tela, GPS e outros ficam na parte superior da interface, bastando “puxar” a aba superior com o dedo. As notificações de aplicativos aparecem na tela e depois também permanecem nessa aba superior.

Por ser o maior sistema operacional, ele também é o que possui maior número de aplicativos, incluindo milhares de opções gratuitas que são baixados através do Google Play – a loja de apps do Google. Por oferecer mais opções de apps, ele também é o sistema mais vulnerável a softwares maliciosos e vírus – assim como o Windows é o sistema operacional para computadores mais vulnerável.

iOS

ios sistema
O iOS é sistema operacional da Apple e é utilizado exclusivamente nos aparelhos mobile da marca. Ele é famoso por seu design consagrado, intuitivo, bonito e extremamente rápido. Claro, esta agilidade não é mérito apenas do sistema, mas do aparelho em si: o iPhone da Apple é um celular top de linha de alta qualidade.

Certamente você não terá problema de lentidão se comprar uma das últimas versões. Porém, se você estiver utilizando um modelo antigo, pode ter tantos problemas quanto um usuário que possui um modelo de entrada com Android. Além disso o preço costuma ser uma grande barreira para os consumidores: os modelos mais recentes costumam ser vendidos por quase R$ 3 mil.

Como o sistema é desenvolvido especialmente para iPhones, a compatibilidade entre o sistema e o aparelho é perfeita – o que pode não acontecer no Android. A atualização do sistema é extremamente confiável. O iOS é atualizado várias vezes ao ano e é distribuído em todos os aparelhos da marca, com exceção dos mais antigos (4 ou anterior).

O iOS possui o assistente inteligente Siri, que é capaz de receber comandos de voz para criar lembretes, alarmes, passar informações, pesquisar na internet e fazer atividades no smartphone.
siri ios

Um dos grandes poréns é que o sistema não é nada personalizável. A Apple costuma ter uma política bastante rígida em seus aparelhos e não é possível modificar muitas coisas no IOS – apenas o fundo de tela e a ordem dos apps. Do mesmo modo, os iPhones tem dificuldade para “conversar” com dispositivos e equipamentos que não sejam da Apple (que costumam ser bastante caros).

Esta política “fechada” da marca também dificulta a transferência de arquivos. Para transferir músicas para o smartphone, é preciso utilizar o iTunes, da Apple. Outro problema é que os iPhones não tem compatibilidade com cartões de memória MicroSD. Ou seja, o armazenamento não é expansível.

Aplicativos iOS

A App Store (loja de aplicativos do iOS) possui menos aplicativos que a Google Play, mas possui vários apps exclusivos e de melhor qualidade, já que a Apple é mais criteriosa na hora de aprovar um novo software em sua loja. Em função disso, o IOS é menos vulnerável a vírus e softwares maliciosos.

A interface é similar a do Android. Na verdade, a do Android é similar a do iOS, já que o iOS veio primeiro. Ele também dispõe os ícones dos aplicativos na tela principal e configurações na aba superior, porém, os detalhes do design do sistema são diferentes.

Windows Phone

widnows phone
O Windows Phone é o sistema operacional da Microsoft e o mais recente dos três, lançado em 2010. Apesar de não ser código aberto, ele também é licenciável e pode ser encontrado em celulares de diferentes marcas, como o Lumia, HTC e LG. Um diferencial é que a Microsoft é mais exigente que o Google em relação ao hardware e não permite que smartphones de baixa qualidade utilizem o sistema.

O sistema é bastante intuitivo, mas, se o usuário está acostumado com Android ou IOS, exige um pouco de treino para utilizar, já que possui uma interface diferente dos outros sistemas. Ela é composta por grandes blocos quadrados que podem ser aplicativos, arquivos, sub menus, entre outros. Estes blocos são customizáveis – sendo possível escolher quais conteúdos e apps você deseja ver primeiro e ter acesso rápido.

Cortana é o assistente pessoal da Microsoft, que trata o usuário pelo nome e responde dúvidas do usuário como clima, reservas, e notificações via áudio. A Cortana possui basicamente as mesmas funções do Google Now, informando o usuário de temas do seu interesse, respondendo dúvidas e realizando atividades através de comandos de voz.
cortana windows

Aplicativos Windows Phone

A última versão do sistema (Windows 10) é completamente integrada a aplicativos usados em outros dispositivos como Xbox, Cortana, Pacote Office e outros. Ou seja, se você é um usuários destes programas, poderá sincronizar eles no seu smartphone.
O Windows Phone possui bem menos aplicativos do que as outras duas opções de sistemas – apesar de possuir a maior parte dos aplicativos mais famosos ou ter opções compatíveis.

Qual o melhor smartphone?

É fácil perceber que não há como afirmar que um sistema é melhor que o outro – ou mesmo qual o melhor smartphone. Essa escolha depende do perfil do usuário e de quais são suas prioridades. Se você quer um sistema que não irá lhe causar problemas e não se importa com o fato de não poder personalizar o smarpthone – e nem com investir um valor alto no aparelho, o iOS pode ser a melhor opção.

Porém, se você quer um sistema intuitivo ,com muitas opções de apps e liberdade para customizar seu aparelho, o Android é mais indicado. Caso você seja um usuário dos programas da Microsoft ou queira um sistema diferente, que oferece um bom meio termo em relação à proteção contra vírus e personalização, o Windows Phone pode ser a melhor opção.

Leia também:

Os 7 melhores smartphones para viajantes
Smartphone e Smart TV precisam ser compatíveis?
Os smartphones com as melhores câmeras do mercado

Publicado em

Os 7 melhores smartphones para viagem

Os brasileiros são um dos povos que mais usa o smartphone em viagens. Estamos atrás apenas dos chineses e tailandeses de acordo com o estudo do Viajante Conectado. Uma outra pesquisa inclusive aponta que o item considerado mais indispensável em uma viagem é o smartphone – 62% consideram o celular o único objeto imprescindível para viajar. Mas você sabe como escolher um bom smartphone para viagem?

Seja para viagens de negócios, turismo ou estudo, os brasileiros usam o smartphone para acessar às redes sociais e se comunicar com quem está longe. Mas, além disso, usam a tecnologia para acessar aplicativos de geolocalização, registrar a viagem através de fotos e vídeos e ainda para reservar hotéis, passagens e buscar restaurantes e outras atrações turísticas. Claro, quem está trabalhando ainda precisa ficar constantemente conectado, de olho nos e-mails.

Para não ser “deixado na mão” pelo aparelho quando se está longe de casa, é preciso considerar uma série de características para escolher um smartphone para viagem. É preciso levar em conta a qualidade da banda, a possibilidade de usar mais de um chip, a qualidade da câmera, o armazenamento e, claro, o hardware – porque não adianta nada ter todos os requisitos anteriores e precisar lidar com lentidão no aparelho.

Pensando nisso, elegemos os 7 melhores smartphones de 2016 para viajantes – seja a turismo ou trabalho. Confira:

Smartphone para viagem “estilo Hostel”

Moto G4 Plus

smartphone para viagem moto g4 plus
O Moto G 4 Plus é um smartphone incrível com ótimo custo benefício. Ele possui um tela de 5.5 polegadas, câmera principal de 13 MP com foco automático laser, frontal de 5 MP com flash (ideal para selfies), grava vídeo Full HD e uma bateria de lítio de 3000mA – que além de durar mais do que a média do mercado, carrega mais rápido, deixando o viajante menos tempo “preso” à tomada.

O modelo possui um sensor de impressão digital que é muito interessante para viajantes, pois mantém o aparelho protegido e ao mesmo tempo torna mais ágil desbloqueá-lo. O armazenamento também é muito bom: 32 GB com possibilidade de ser expandida até 128 GB.

Além disso, ele é Dual Chip, o que quer dizer que o viajante pode manter um chip local e um de sua cidade de origem. O Moto G4 Plus tem internet 4G com suporte para bandas LTE: 1(2100), 3(1800), 7(2600), 8(900), 20(800), além de HSDPA e GSM. Para completar, o modelo possui um processador Octa-core Qualcomm Snapdragon com 4 x 1.5 GHz + 4 x 1.2 GHz com 2GB de RAM que promete manter o aparelho veloz. Tudo isso por cerca de R$ 1,3 mil.

Galaxy A5 2016

galaxy a5 smartphone samsung
Este modelo da Samsung é outro ótimo intermediário. O modelo possui um acabamento metálico sofisticado, com uma tela de 5.2 polegadas, 16 GB de armazenamento (expansível até 128 GB). A câmera traseira é de 13MP e a frontal de 5MP com abertura de f/ 1.9. Ele é Dual Chip, 4G e sensível a impressões digitais – características muito interessantes para viajantes. Ele suporta bandas LTE: 1(2100), 3(1800), 5(850), 7(2600), 8(900), 20(800), além e HSDPA e GSM.

O processador Octa-Core com 2GB de RAM promete o carregamento de páginas de navegadores instantaneamente e utilização de vários apps ao mesmo tempo. Para completar, a Samsung promete que o Galaxy A5 carrega 100% da bateria de 2900 mAh em 105 minutos.

É possível encontrar o aparelho por cerca de R$ 1,3 mil.

Zenfone selfie

zenfone selfie
Esse é especial para quem viaja sozinho e gosta de tirar muitas selfies para registrar os momentos: ele possui uma câmera frontal com flash de 13 MP com abertura de f/ 2.0 e lente grande angular de 88º. A câmera traseira também tem 13 MP e filma em Full HD. O modelo é 4G, Dual chip e, além das HSDPA e GSM, ele suporta bandas LTE 1(2100), 2(1900), 3(1800), 4(1700/2100), 5(850), 8(900), 28(700).

O Zenfone selfie tem tela Full HD de 5.5 polegadas com Gorilla Glass 4 e uma bateria de 3000 mAh. O hardware é de qualidade, com um um processador octa core de 1,5GHz, 3GB de RAM. O armazenamento é de 32 GB mas expansível até 128GB.

Tudo isso por cerca de R$1,1 mil.

Smartphone para viagem “Cinco Estrelas”

Motorola Moto X Force

motoxforce
Este é um ótimo modelo para viajantes pois ele é extremamente resistente. Ele possui uma moldura de alumínio, revestimento impermeável (resistente à água) e tela Moto ShatterShield – uma tela que não trinca nem se estilhaça. Ele possui uma câmera principal de 21 MP, frontal de 5 MP com flash e filma em resolução 4k. A bateria de 3760 mAh promete 36 horas de autonomia de bateria em atividade e um carregamento ultrarrápido.

O Moto X Force é 4G e suporta bandas LTE 2(1900), 3(1800), 4(AWS), 5(850), 7(2600), 13(700) (além das HSDPA e GSM). Ele é dual chip, com o recurso que seleciona o chip com melhor conexão e sinal automaticamente. O processador superpotente Qualcomm Snapdragon 810 e a memória RAM de 3GB garantem o desempenho que viajantes precisam. O armazenamento de 64 GB (expansível até 200 GB) promete espaço suficiente para guardar muitas fotos e músicas. O aparelho é vendido por cerca de R$ 2,1 mil.

Samsung Galaxy S7

galaxy s7
Este top de linha da Samsung é resistente à água, possui leitor de digital e um processador octa core e 4GB de RAM. A câmera traseira tem 12 MP e a frontal, 5 MP – ambas com abertura f/1.7 e foco ultrarrápido. O modelo grava em resolução 4K e possui um armazenamento de 32 GB (expansível até 200 GB).

O smartphone tem internet 4G, com suporte para bandas LTE: 1(2100), 2(1900), 3(1800), 4(1700/2100), 5(850), 7(2600), 8(900), 12(700), 13(700), 17(700), 18(800), 19(800), 20(800), 25(1900), 26(850), 28(700), 38(2600), 39(1900), 40(2300), 41(2500).

O Galaxy S7 tem uma tela de 5.1 polegadas com Gorilla Glass 5. Seu design é refinado, com acabamento premium em metal e vidro, e versões em branco, prata, dourado e preto. A bateria de 3000 mAh promete durar até 22 horas em 3G e carregar 60% de bateria em 30 minutos.

O modelo está à venda por cerca de R$ 2,8 mil.

LG G5 SE

LG-G5-se
Este modelo possui dupla câmera traseira de 16 MP e abertura f/1.8, sendo possível capturar 86% mais cenários que os outros celulares, e uma frontal de 8 MP com flash e disparo automático para selfies – câmeras incríveis para quem faz questão de registrar todos os lugares novos por onde passa. Um processador Snapdragon Octacore 1.8GHz com 3 GB de RAM, que deve fazer o smartphone funcionar com fluidez e agilidade.

Ele ainda possui sensor de digital, armazenamento de 32 GB (expansível até 2 TB). O acabamento é sofisticado em metal, com uma tela de 5.3 polegadas. Para completar, o LG G5 SE possui internet 4G com suporte para bandas LTE 1(2100), 2(1900), 3(1800), 4(1700/2100), 5(850), 7(2600), 8(900), 12(700), 17(700), 20(800), 28(700), 38(2600), 40(2300).

É possível comprar este modelo por cerca de R$ 2,6 mil.

Iphone 6S

iphone 6s
Enquanto o iPhone 7 não chega no Brasil, o 6s continua sendo um dos melhores smartphones do mercado. Ele também é incrível para quem gosta de registrar a viagem através do celular pois vem com uma câmera iSight de 12 MP e vídeos 4K (traseira) e uma câmera FaceTime HD de 5 MP com Flash Retina (frontal).

Ele também é um dos melhores quando se trata de internet: 4G Advanced de até 300 Mbps, suporte para bandas LTE (1, 2, 3, 4, 5, 7, 8, 12, 13, 17, 18, 19, 20, 25, 26, 27, 28, 29 e 30), e uma conexão Wi-Fi três vezes mais rápida com 802.11 ac.

Ele ainda possui sensor de digitais, armazenamento de 64 GB e um Chip A9 com arquitetura de 64 bits e coprocessador de movimento M9 integrado. Esse é um hardware que não deve deixar o usuário na mão por muito tempo. A bateria é um pouco inferior aos concorrentes, com 14 horas de autonomia no 3g. É possível comprar o iPhone 6s por R$ 2,9 mil.

Todos os smartphones acima são ótimos modelos, sendo os três primeiros mais básicos. A escolha do celular vai depender do perfil do viajante, se prioriza uma boa câmera para registrar os momentos, resistência do aparelho, uma internet veloz, autonomia de bateria ou um hardware potente.

Está procurando um Smartphone novo?

Deixe seu email e seja convidado para o pré-lançamento do Assistente de compras para smartphone!
[mc4wp_form id=”168075″]

Leia também:

Smartphone e Smart TV precisam ser compatíveis?
Os smartphones com as melhores câmeras do mercado
Notebook leve e fino: 8 modelos para quem precisa de mobilidade

Publicado em

Smartphone e Smart TV precisam ser compatíveis?

Todo comercial de Smart TV mostra pessoas conectando seu smartphone na Smart TV com um simples toque e transmitindo fotos, vídeos e músicas para a grande tela com extrema facilidade. Porém, essa integração nem sempre é tão fácil.

Em um primeiro momento, só era possível conectar smartphone na Smart TV utilizando media centers como o Apple TV e o Chromecast. Atualmente, graças à tecnologia Miracast, é possível fazer essa integração sem usar um terceiro gadget.
A grande maioria das Smart TVs mais recentes possuem a opção de se conectar com smartphones através da rede Wi-Fi. Ao comprar uma TV certifique-se que ela possui a funcionalidade de conectar com outros dispositivos por rede sem fio.

Algumas Smart TVs possuem diferenciais de conectividade. O sistema Tizen, da Samsung, coloca a integração com outros dispositivos como um dos carros-chefe. Ele reconhece automaticamente smartphones e outros gadgets conectados na rede Wi-Fi, sem ser necessário “procurar” com o controle remoto. O Firefox OS, sistema utilizado pela Panasonic, permite que você configure o smartphone como um dispositivo favorito e crie uma espécie de atalho na tela principal.

As smart TVs Android (comum em aparelhos da Sony e Phillips) possuem uma integração mais amigável com o dispositivos móveis com o mesmo sistema, além de se conectar com computadores através do navegador Google Chrome. O sistema WebOS, apesar de não apresentar nenhum diferencial, se conecta com smartphones de todos os sistemas operacionais.

Leia também:

Resoluções HD, Full HD, 4K e 8K: qual a diferença?
Qual a melhor marca de TV e Smart TV?
Smartphones com as Melhores câmeras
Como escolher o melhor sistema para Smart TV e porque isso importa

O principal problema está “do lado” dos smartphones. Os celulares com sistema Android e Windows Phone mais modernos utilizam a tecnologia Miracast para espelhar o conteúdo em televisões através do Wi-Fi. Isso acontece independente da marca e do sistema operacional do aparelho. Porém, os smartphones iOS são mais complicados e, oficialmente, exigem que se use um terceiro gadget: o Apple TV.

Como espelhar o smartphone na Smart TV:

espelhar smartphone na tv

Android

Para conectar um smartphone Android com uma televisão através de um sinal sem fio, você deve ir ao menu de configuração rápida e procurar “Screen Mirroring”, “Transmitir” ou “Screen Share”. Depois, você deve selecionar o botão “source” (ou similar) de sua Smart TV e escolher a opção de “tela sem fio” ou “monitor sem fio”. Ao selecionar a opção de screen mirroring no smartphone, ele irá buscar dispositivos conectado à rede wi-fi e deve encontrar a televisão. Claro, não esqueça de se certificar que ambos dispositivos estão conectados a rede wi-fi.
Depois que os dispositivos se reconhecerem, você conseguirá ver na tela da TV tudo que fizer no celular, inclusive assistir vídeos no Netflix e no Youtube, ver vídeos gravados no celular, fazer apresentação de fotos, etc.

Windows Phone

Os smartphones com Windows funcionam de maneira similar ao Android e conseguem se conectar às televisões através do Miracast. Basta encontrar as configurações do celular e selecionar “projetar minha tela”. Depois, é necessário encontrar o dispositivo na televisão.

iOS

Oficialmente, o iPhone precisa de um media center como o Apple TV para se conectar com televisões e transmitir músicas, fotos e vídeos. Na prática, você conecta a Apple TV à televisão e o iPhone à Apple TV. É possível transmitir vídeos, fotos e músicas do iPhone para o celular sem usar um terceiro gadget utilizando aplicativos como iMedia Share e Mirror. Outros aplicativos, como o Netflix, conseguem transmitir o conteúdo do smartphone para a TV. Porém, estes apps não são oficiais e apresentam limitações.

Procurando uma TV nova?

Acesse o Assistente de Compras!

Publicado em

Qual o valor de uma selfie?

Você pode não ter percebido ainda mas a máquina que movimenta as redes sociais é a câmera fotográfica do celular. É a curiosidade pelos registros compartilhados que nos faz checar as atualizações a cada minuto, é a ansiedade de ver as reações às nossas próprias fotos que nos mantém ligados. É através das fotos que hoje nós – millenials ou não – desejamos e nos fazemos desejar. Já é até difícil lembrar como era antes de termos a tecnologia na ponta dos dedos: como ficávamos sabendo da vida dos outros? Como fazíamos para mostrar algo aos amigos? Onde encontrávamos inspiração e novidades?

Neste palco feito de imagens e pessoas – mais ou menos reais – um tipo de fotografia se popularizou à medida em que os telefones se tornaram computadores e que criamos espaços para compartilhar imagens pessoais: as selfies.
Sim, nós sabemos que as selfies não são exatamente uma novidade (está aí o registro do beatle George Harrison lá em 1966) mas nunca elas foram tão importantes e poderosas. Não só poderosas como financeiramente rentáveis, segundo um artigo recente do The Guardian. Seja você do time que as faz ou do time que as detesta, não importa, é preciso reconhecer o fato de que as selfies são muito mais do que registros pessoais.

george-harrison-selfie

A Selfie Economy

Por mais íntima ou narcisista que possa parecer uma foto tão aproximada, as selfies meticulosamente planejadas são parte fundamental da estratégia de bloggers e celebridades. Por isso mesmo, o poder mercadológico das selfies está se tornando surpreendente e ganhando até um nome especial, a “Selfie Economy”.

O crescimento em alguns mercados especiais está sugerindo esse movimento econômico, como o dos cosméticos e maquiagem. Analistas do setor apontam que celebridades como Kylie Jenner (fotos abaixo via Instagram) acabam impulsionando o consumo de batons. Além dos batons, uma nova linha de produtos para a pele, chamados HD makeup (maquiagem de alta definição), também surgiu nesta onda, prometendo refletir melhor a iluminação e, assim, sair melhor nas fotos.

KYLIE-SELFIE

De maneira um pouco mais drástica, as selfies estão sendo relacionadas até mesmo com cirurgias plásticas. Um estudo norte-americano afirmou que existe um aumento no número de pacientes que procuram cirurgias por estarem viciados no culto pela aparência nas redes sociais. Reconstrução e ajustes no nariz, queixo, pálpebras e implante de cabelos: tudo para sair melhor nas selfies.

E falando em smartphones, uma polêmica inclusive surgiu com o tratamento estético que um celular parecia aplicar automaticamente nas selfies tiradas. Mel Wells (imagem abaixo), uma blogger fitness, publicou em nas redes sociais suas fotos com seu Samsung novo e a reclamação de que as selfies saíam tratadas por um “filtro de beleza” que seria o modo default do aparelho neste tipo de foto. Sardas removidas, pele uniformizada seguindo um padrão clássico de como uma pessoa deve sair em uma selfie, o que deixou indignada a blogger e muitas outras mulheres. A Samsung se defendeu dizendo essa era um filtro opcional.

blogger-selfie

Na mesma onda, a Microsoft lançou o Selfie, um aplicativo para iOS que utiliza inteligência artificial e reconhecimento facial para corrigir as selfies com base na idade, sexo e tom de pele dos fotografados. O usuário pode aumentar e diminuir a intensidade de correções como remoção de sinais de rugas, olheiras e outros traços indesejados. Hoje existem smartphones especiais para selfies e, indo mais além, um ranking bizarro de mortes causadas por selfies (segundo dizem, elas já são matam mais do que ataques de tubarão). Ou então obras de arte e peças históricas danificadas por alguém que “só” queria tirar uma bela selfie.

O poder do compartilhamento

Vale uma breve retrospectiva para nos ajudar a entender: nos primórdios, quem quisesse fazer um selfie corria o risco de errar o foco, a luz ou cortar sua própria cabeça e só descobrir isso tempos depois ao revelar o filme. Depois vieram as câmeras digitais que foram facilitando essa tarefa, já que era possível conferir o registro na hora e repetir até dar certo. Ainda assim, era precisa baixar a foto para um computador (depois, é claro, chegaram as com wifi) e… enviar por e-mail? Claro que não. Por isso é que a coisa ficou realmente interessante quando surgiram as redes sociais.

Dizem que o botão de Like do Facebook é o responsável pelo impulso automático no ego que muitos buscam com suas selfies. Mas tudo isso foi exponencialmente potencializado a partir do momento em que os telefones ganharam uma câmera frontal e conexão à internet. Então, na próxima vez que tirar uma selfie, faça uma pausa para lembrar do poder econômico e social que hoje vive no seu bolso e nas suas mãos! 😉

Está procurando um Smartphone novo?

Seja convidado para o pré-lançamento do Assistente para smartphones!
[mc4wp_form id=”168075″]

Publicado em

Resoluções HD, Full HD, 4K, 8K: qual a diferença?

Telas HD, Full HD, 4K, 8K – a tecnologia das telas evolui tão rápido que é difícil acompanhar. É amplamente divulgado pelas fabricantes que a resolução 4K é superior a Full HD e a 8K melhor que a 4K, mas poucas pessoas sabem o que todos esses nomes significam e se realmente fazem diferença no dia a dia.

Primeiro, é preciso entender o que é resolução. A resolução tem a ver com a quantidade de pixels, mas não está relacionada com o tamanho da tela. O tamanho da tela é medido em polegadas (2,54 cm) e se refere à distância entre o canto esquerdo inferior ao canto direito superior da tela – ou seja, a diagonal.

A resolução se refere à quantidade de pixels que uma tela tem. As telas são feitas de minúsculos pontos chamados pixels, que são o menor tamanho que uma imagem pode ter – cada pixel carrega uma única informação, uma única cor, que, junto com os outros pixels, forma a imagem que você vê na tela. Se você se aproximar da tela do computador ou do celular, talvez você enxergue pequenos quadradinhos – esses são os pixels. Eles são organizados em linhas horizontais e verticais, como uma tabela.

Quando falamos que uma tela tem resolução 1920 x 1080 (Full HD), quer dizer que ela possui 1920 pixels em uma linha (horizontal) e 1080 em uma coluna (vertical). O primeiro número sempre faz referência ao número de pixels no sentido horizontal e, o segundo, no sentido vertical.

Essa medida também é usada para medir a qualidade de fotos e vídeos: toda imagem digital é formada por pixels. Um vídeo de 1280 x 720, possui 1280 pixels na horizontal e 720 pixels na vertical. Se esse vídeo for transmitido em uma tela com resolução maior, a qualidade da imagem não irá mudar, pois o vídeo não tem mais detalhes para mostrar.

Densidade de pixels

Porém, é importante frisar que não há um tamanho padrão para pixels. É possível ter uma tela de 40 polegadas com resolução 1280 x 720 (HD) ou com resolução 1920 x 1080 (Full HD). Diferentes números de pixels distribuídos em uma tela do mesmo tamanho. Como cada pixel carrega uma informação, quanto mais pixels existirem, mais detalhada será a imagem, com mais informações e maior qualidade.

Cada vez mais, telas menores suportam maior quantidade de pixels. Smartphones com tela de 5.5 polegadas tem resolução de 1920 x 1080. Os pixels estão se tornando tão pequenos que o olho humano não consegue mais enxergá-los. As telas estão suportando uma maior densidade de pixels e, quanto maior a densidade de pixels, mais detalhada e realista é a imagem.

A densidade de pixels é especialmente importante para dispositivos que utilizamos perto do rosto – como smartphones e tablets. Na televisão, não costumamos perceber os pixels pois assistimos há uma distância considerável. Porém, em dispositivos móveis, é muito fácil perceber e se incomodar com os pequenos quadrinhos na tela.

Padrões de resolução

full hd resoluções tv 4k
Apesar de não haver tamanho de pixel padrão ou limite para quantidades de pixels, o mercado acabou criando padrões de resolução para vender seus produtos. Primeiro surgiu as telas com resolução HD, depois as Full HD e mais recentemente as 4K e 8K.

Resolução HD

Quando surgiram as telas de LCD, LED e Plasma, as fabricantes criaram um padrão de resolução de chamaram de High Definition (alta definição). Essa resolução apelidada de HD é de 1280 x 720 pixels, utilizada em telas widescreen (de proporção 16:9). Atualmente, é quase impossível encontrar um dispositivo com tela com resolução inferior a HD (a não ser que você vá atrás de televisões de tubo em um brick).

Essa resolução é bastante satisfatória, mas, comparando com as outras opções existentes no mercado, está se tornando obsoleta.

 

Leia também:

Como escolher o melhor sistema para Smart Tv e porque isso importa
TV curva ou de tela plana?
Devo comprar uma TV 4K?

Resolução Full HD

Logo em seguida do surgimento das TVs HD, apareceram as TV Full HD – outro nome criado pela indústria para vender mais aparelhos. Esta resolução oferece 1920 x 1080 pixels – uma imagem com mais qualidade e nitidez. Atualmente, a maioria das telas – televisões, computadores, celulares – são Full HD.

[busca-oferta category=”tv” brand=”Panasonic” reference=”TC-32A400B”]

[busca-oferta category=”tv” brand=”Philips” reference=”43PFG5000″ slug=”43PFG5000″]

[busca-oferta category=”tv” brand=”Samsung” reference=”UN48J6500AG”]

[busca-oferta category=”tv” brand=”Philips” reference=”55PFG5100″]

Estes são alguns modelos selecionados de TV com resolução Full HD e tela LED. O primeiro modelo é uma Panasonic de 32 polegadas, bem básica, ideal para quem busca o melhor custo benefício sem grandes exigências. A segunda opção é uma Philips de 43 polegadas, também um modelo de entrada. Em seguida, uma Samsung de 48 polegadas e uma Philips de 55 polegadas.

Resolução 2K

A resolução 2K é pouco conhecida, pois a indústria passou das telas Full HD direto para as 4K. Este é um padrão idealizado pelo DCI (Digital Cinema Initiative) que previa telas de 2048 x 1080 e chegou a fazer parte da primeira geração das telas de cinema digital. O “K” significa 1 mil unidades e faz referência ao fato de ter dois mil pixels na horizontal e ter duas vezes mais pixels que a Full HD.

Porém, como é pouco maior que a resolução Full HD, não temos muitos televisores e computadores com essa resolução e quase nenhum conteúdo de vídeo neste padrão.

Resolução 4K

Em 2014, os aparelhos com resoluções 4K (também conhecidos como Ultra HD ou UHDTV) entraram de vez no mercado. Este padrão oferece (quase) quatro vezes mais que a Full HD: 3840 x 2160. Uma imagem extremamente rica em detalhes.

É mais comum encontrar esta resolução em televisores grandes, com telas superiores a 50 polegadas. Além da questão técnica, é nestas grandes telas que esta quantidade de pixels faz diferença. Já se fala em smartphones com tela 4K, mas em telas pequenas, a diferença entre resolução Full HD e 4K não seria notável.

A maioria das televisões possuem proporção 16:9 (16 partes na horizontal para 9 na vertical), porém, algumas TVs 4K tem proporção 21:9 (21 partes na horizontal por 9 na vertical) e, portanto, tem resolução 5120 x 2160.
samsung-curva

Antes de comprar, vale a pena se perguntar: “TV 4K vale a pena?”. Então, a qualidade é inegavelmente superior e os preços estão baixando com rapidez, mas é preciso lembrar que ainda há pouco conteúdo em 4K disponível e os conteúdos Full HD são transmitido igualmente em um aparelho Full HD e em um 4K. O Netflix, Amazon Prime e Youtube já possuem conteúdos nesta resolução. Porém, a tendência é que isso mude rapidamente.

TVs 4K à venda:

[busca-oferta category=”tv” brand=”Philips” reference=”40PUG6300″]

[busca-oferta category=”tv” brand=”Samsung” reference=”UN40KU6300G”]

[busca-oferta category=”tv” brand=”Samsung” reference=”UN48JU6500G”]

[busca-oferta category=”tv” brand=”Samsung” reference=”UN55JU6700G”]

[busca-oferta category=”tv” brand=”LG” reference=”65UG8700″]

Resolução 5K

Assim como a resolução 2K, a 5K não é muito conhecida. Essa denominação faz referência a resolução de 5120 x 2880 em uma proporção 16:9 – um pouco maior que a 4K comum. No final de 2014, surgiram alguns modelos com esta resolução como a linha de monitores de 27 polegadas Ultrasharp da Dell. Porém, a resolução não se popularizou e o mercado deve passar da 4K direto para a 8K.

Resolução 8K

A industria não demorou para superar a resolução 4K. Agora, começar a ser lançados os primeiros aparelhos com telas 8K: 7680 x 4320 pixels – cerca de 16 vezes mais pixels que a Full HD. Ainda são raros os aparelhos com esta resolução, além de ser muito caros. Além disso, esta resolução só faz diferença em uma tela com mais de 80 polegadas e praticamente não existe conteúdo (vídeos) com está resolução. Ou seja, não adianta comprar um televisor 8K para assistir programas em resolução Full HD nele.

Porém, aos poucos, isso deve mudar e a resolução 8K deve ganhar o mercado de televisão e o cinema, assim como as produtoras de conteúdo devem começar a produzir conteúdos nesse resolução.

Resolução tão alta é necessária?

A resolução do olho humano é de 1/60, um minuto de grau ou 0,00029 radianos. Isso quer dizer que o ser humano só distingue dois pontos se eles estiverem separados por um ângulo de pelo menos 1 minuto de grau. Ou seja, o olho humano consegue perceber dois pontos diferentes (e dois pixels) dependendo da distância que está do objeto (e da tela). Assim como só percebemos dois faróis de carros (ao invés de um único ponto luminoso) a cerca de 3 km de distância, conseguimos perceber dois pixels separados por 0,1 mm a uma distância de 25 cm da tela.

Um artigo publicado no IBM Journal, explica que a capacidade de visão do olho humano de 300 DPI (densidade de pixels) ou seja, 300 pontos a cada 25,4mm ou 1 ponto a cada 0,1 mm. Mesmo que a indústria seja capaz de inserir mais pixels, cada vez menores, nas nossas telas, o ser humano não será capaz de enxergar. Se uma tela tiver dois pixels separados por 0.05 mm, não seremos capaz de perceber a diferença a uma distancia de 25 cm da tela.

Ou seja, uma resolução alta, como 4K ou 8K vai fazer diferença e valer a pena dependendo do tamanho da tela (e da densidade de pixels) e da distância da qual se assiste. Para ter certeza de qual modelo e resolução escolher, você pode usar o assistente de compras Shoptutor, que calcula qual o tamanho ideal de tela para você não enxergar pixels a uma determinada distância.

Encontre sua TV nova!

Se você quer entender mais sobre a capacidade da visão humana, confira o vídeo abaixo (em inglês):

Publicado em

Perdi meu smartphone e agora?

Perder um smartphone é realmente um grande transtorno. Nos tornamos tão apegados e dependentes desses aparelhos que ficar sem eles pode ser um problemão. Gastar dinheiro com um aparelho novo quando não estamos preparados pode ser complicado. Além disso, a ideia de perder grande parte dos nossos dados ou ter nossas aplicativos e redes sociais usados por outra pessoa é um grande estresse. Sempre surge a dúvida: é possível rastrear smartphone? Como?

Se você está lendo essa matéria, provavelmente perdeu seu smartphone, já tentou ligar para ele, procurou nos últimos lugares que visitou e avisou as pessoas mais próximas. Se nada disso funcionou, é hora de agir!

A boa notícia é que Android, iOS e Windows Phone têm ferramentas para localizar e bloquear o aparelho e excluir os dados remotamente. Então, mesmo que você não consiga ter seu celular de volta, é possível minimizar os danos.

Android

É possível rastrear smartphone Android com facilidade, mas para isso é preciso ter configurado a ferramenta no celular. Para ativar a funcionalidade, é preciso acessar a Config. Google e ativar as opções “Localizar remotamente o dispositivo” e “Permitir bloqueio e limpeza remotos”, além de ativar a localização do aparelho.

Se o seu celular estava com estas opções ativadas, é muito fácil encontrá-lo. Basta acessar o gerenciador de dispositivos e fazer login com a sua conta do Google.

Ele tentará conectar com o seu aparelho. Se tiver sucesso, a localização do celular será indicada no mapa com uma precisão de um raio de 21 metros. Agora, é possível escolher entre Tocar, Bloquear e Apagar. Tocar serve se você está perto do aparelho e não está encontrando. Bloquear irá redefinir a senha de liberação – ideal se você ainda tem a esperança de recuperá-lo. Apagar é a última opção, quando você sabe que não irá ter seu smartphone de volta. Ao fazer isso, você irá formatar o celular e não há como voltar atrás.

iOS

Assim como no Android, a ferramenta da Apple só irá funcionar se a opção “Buscar iPhone” estiver ativada nas configurações do iCloud. Se esta função estiver ativada, é bastante simples encontrar o aparelho. Basta acessar a ferramenta, selecionar o dispositivo perdido e esperar a conexão ser feita.

Se tudo der certo, a localização do aparelho será marcada no mapa. Assim como o Android, a ferramenta da Apple tem três opções: Reproduzir Som, para o aparelho tocar e ser encontrado por quem estiver perto; Modo Perdido, que irá bloquear o aparelho e definir uma nova senha até você encontrar ele; e Apagar iPhone, para excluir todas as informações do seu celular e manter sua privacidade caso você não tenha mais esperança de encontrá-lo.

Windows Phone

Se você perdeu o seu Windows Phone, você precisa acessar a página de dispositivos da Microsoft e fazer login com a mesma conta usada no celular. Basta selecionar o aparelho que você deseja de localizar e clicar em “Encontrar meu telefone”. Assim como no IOS e no Android, irá aparecer um mapa com a localização onde o aparelho foi identificado pela última vez. Depois de localizado, é possível “Discar”, para fazer com que ele emita um som mesmo que esteja no silencioso; “Bloquear” para travar o aparelho e deixar uma mensagem personalizada na tela; ou “Apagar” para excluir todos os dados do celular.

Além dessas opções, é possível desfazer login dos principais aplicativos de e-mail e redes sociais remotamente. Você pode acessar o Gmail, o Facebook e até a conta Google pela web, entrar nas configurações e encerras as sessões do smartphone perdido. De qualquer maneira, pode ser uma boa ideia trocar a senha dos seus principais aplicativos.

Por último, mas não menos importante, ligue para a sua operadora de telefone e peça para bloquear o seu número para evitar que alguém utilize.

Leia também:

Os smartphones com as melhores câmeras do mercado
Como funciona a garantia e assistência técnica dos eletrônicos

Está procurando um Smartphone novo?

Seja o primeiro a utilizar o assistente de compras para Smartphones! Deixe seu email e compre seu próximo Smartphone com a ajuda de um assistente virtual!
[mc4wp_form id=”168075″]

Publicado em

NOVO IPHONE poderá bloquear sua câmera em shows?

Apple-Iphone-Patente-Como-FuncionaUma patente aprovada recentemente nos Estados Unidos está lançando uma polêmica no mundo da música e do entretenimento. A Apple criou um sistema que pode desativar a gravação de vídeos no iPhone em shows e concertos utilizando sinal infravermelho. O sistema foi criado e submetido lá em 2011, por isso era baseado em infravermelho, tecnologia que hoje já pode até ser substituída por outras mais modernas como iBeacons, por exemplo.

Se um fã decidir filmar ou fotografar um espetáculo ou show que usa este sistema, ele receberá na tela um aviso de “gravação desativada” assim que tentar ativar sua câmera. O funcionamento do sistema está descrito no esquema abaixo:

Apple-Iphone-Patente

A polêmica

Por enquanto a Apple não divulgou planos de colocar em uso o sistema e nem sequer se pronunciou sobre o assunto. É certo que a medida agradaria muitos artistas que tem suas performances gravadas nos shows. Além disso, muitos defendem que a grande quantidade de fãs que fotografam e gravam durante shows acabam atrapalhando os demais espectadores – o impacto da tela luminosa bem no campo de visão dos demais é realmente muito desagradável!

Alguns artistas inclusive já se pronunciaram no palco sobre esse tipo de comportamento. A cantora Adele puxou a orelha de uma fã em um show na Itália pedindo que ela parasse de filmar e aproveitasse o show ‘na vida real’ ao invés do celular . O ator Benjamin Cumberbatch – que está atualmente interpretando Hamlet em um teatro em Londres – pediu pessoalmente aos fãs que não usassem a câmera dos smartphones durante o seu espetáculo: “Eu olho para o público e vejo luzes vermelhas. Por favor, isso é mortificante e não há nada menos encorajador”.

Certamente é melhor do que a tática de marcar com laser luminosos aqueles espectadores que usam o celular, conforme tática de muitos cinemas na China… Mas algumas outras questões ficam no ar: será que o número de usuários de iPhones irá diminuir com este novo sistema? Ou os demais fabricantes também adotarão a medida e ela se tornará comum em todos os smartphones? Será que uma empresa tem direito de acessar e controlar o uso que cada um faz do seu dispositivo? E quem irá determinar quais locais podem usar este sistema? Governos controladores poderão aplicar o sistema para impedir registros de manifestações e acontecimentos sociais?

Segundo o Apple Byte, a patente também tem outros potenciais de uso, como para museus, onde o sinal infravermelho detectado pelo smartphone poderia disponibilizar na tela informações sobre as obras. Mas há também a teoria de que isso pode ser mais uma jogada Apple para controlar como, quando e onde os usuários consomem a música de determinados artistas.

Publicado em

Os smartphones com as melhores câmeras mercado

A cada geração, os smartphones chegam no mercado com câmeras mais potentes. As populares cybershot e outras câmeras digitais pequenas que fizeram sucesso no começo dos anos 2000 foram aposentadas. Hoje em dia a câmera do smartphone é a principal máquina fotográfica da grande maioria das pessoas – apenas profissionais e fãs de fotografias utilizam câmeras fotográficas profissionais. Ainda assim, há muitos celulares que registram fotos em qualidade profissional. Selecionamos aqui os smartphones com melhores câmeras do mercado, mas antes vamos entender como identificar uma boa câmera!

Seja para tirar selfies, registrar momentos especiais com os amigos, ou guardar paisagens lindas para a posteridade, as pessoas fazem questão de ter uma boa câmera a mão em todos os lugares. Boa parte dos usuários escolhe o smartphone baseado na qualidade da câmera

Além disso, no smartphone, a câmera também é uma ferramenta de comunicação – trocamos imagens nas redes sociais, fazemos vídeo chamadas, scaneamos documentos, registramos nosso dia a dia no snapchat e no Instagram etc. Se você é uma dessas pessoa que tira fotos com o celular no dia a dia, você precisa entender como identificar se a câmera de um smartphone é boa.

Como identificar uma boa câmera?

smartphones com melhores câmeras

A maioria das pessoas sabe que megapixels (MP) são importantes, mas poucos sabem como eles funcionam e até que ponto determinam a qualidade da imagem.

Em geral, quanto mais MP, melhor. Um megapixel é igual a um milhão de pixels. Ou seja, uma câmera de 8 MP, possui 8 milhões de pixels. Para quem não lembra, pixel é a menor informação da imagem, um quadradinho de apenas uma cor que, em conjunto com os outros, forma as imagens que vemos nas telas dos smartphones, computadores e televisões.

Quando uma imagem possui poucos pixels, ela pode apresentar um efeito quadriculado. Em uma imagem com muitos pixels, é possível colocar zoom e cortar e ela seguirá com uma boa qualidade e nitidez. Porém, quando chegamos em resoluções mais altas, é possível ter imagens com mais qualidade tiradas em uma câmera de 10 megapixels do que em uma de 16 megapixels, porque outros fatores também interferem no produto final.

A abertura, representada pela letra “f” é o tamanho do obturador e determina a quantidade de luz que a lente deixa entrar. Quanto menor o valor de “f”, mais luz entra. Quanto maior o valor “f”, menos luz entra e mais desfocado fica o fundo. O ideal é poder alterar essa abertura, ajustando a quantidade de luz no ambiente e se deseja desfocar o fundo da imagem ou não.

A velocidade determina o tempo que o obturador ficará aberto, deixando a luz entrar e registrando a imagem. Quanto mais tempo ficar aberto, mais clara a imagem ficará e maior a probabilidade de haver borrões em objetos em movimento. Uma velocidade alta deixa pouca luz entrar, mas congela os objetos em movimento.

Já o ISO determina o quão sensível é o sensor da câmera à luz. Quanto maior o ISO, maior a sensibilidade, sendo possível tirar boas fotos em lugares escuros sem flash. Porém, um ISO muito forte cria um efeito granulado nas fotos. Por isso, o ideal é ajustar o ISO de acordo com a iluminação do ambiente.

Outros fatores

O tamanho do sensor também influencia na qualidade de imagem. Em geral, quanto maior o sensor melhor a imagem – por isso alguns smartphones top de linha possuem uma câmera grande, para fora do aparelho. Há os sensores CMOS e CCD, sendo que o CMOS é de maior qualidade. O foco é outro fator muito importante. Ele pode ser por contraste ou laser. O primeiro, é mais lento e menos preciso, enquanto o segundo é rápido e oferece imagens com maior nitidez.

Ainda há outros fatores, como o HDR, que ajuda a registrar imagens com intensidade de luz diferentes; a estabilização eletrônica ou óptica de imagem, que tenta evitar imagens tremidas e sem foco; as lentes, que podem ser de melhor ou pior qualidade; a resolução de gravação de vídeo, importante para quem faz vídeo chamadas; a possibilidade de salvar no formato RAW, que registra imagens pesadas e extremamente detalhadas; entre outras especificações.

Agora já estamos preparados para conferir a seleção de 8 smartphones com melhores câmeras do mercado:

Os smartphones com melhores câmeras

Asus ZenFone 2

smartphones com melhores câmeras Asus-ZenFone-2

A Asus não chegou no mercado para brincadeira, com este celular é possível tirar fotos com qualidade quase profissional. A câmera traseira tem 13MP e abertura de foco em 2.0, com recursos para tirar fotos em pouca luz ou no modo Super HDR – em alta resolução. A câmera frontal possui 5 MP com lente grande angular de 85º que aumenta o campo de visão em 140º – ideal para encaixar todo mundo na selfie.

O smartphone possui a tecnologia PixelMaster 2.0, que reconhece o ambiente e ajusta o modo de captura para uma das 16 opções disponíveis. Destaque para o modo de baixa luminosidade, onde é possível tirar fotos com quatro vezes mais sensibilidade à luz e contraste.

Valor: A partir de R$ 850

LG G5 SE

smartphones com melhores câmeras lg g5
Este modelo da LG promete fotos profissionais. É uma câmera traseira dupla com 16 MP, abertura focal f/1.8, estabilizador de imagem OIS 2.0 e um “sensor de espectro de cores” (CSS) que registra cores extremamente reais. Esta configuração faz com que a câmera capte mais luz que a maioria dos smartphones, além de ter um processamento mais poderoso que ajuda a evitar fotos tremidas. Para completar, uma das câmeras traseiras tem ângulo com abertura de 135º que proporciona imagens mais detalhadas e com profundidade. A câmera frontal não fica para trás: 8MP!

Valor: A partir de R$ 2.2 mil

Leia também:

Smartphone e Smart Tv precisam ser compatíveis?
Não tenho dinheiro mas quero um celular novo – e agora?
Qual o valor de uma selfie?

Samsung Note 5

smartphones com melhores câmeras Samsung-Galaxy-Note-5

As câmeras deste modelo fazem jus a qualidade do hardware: são 16MP na câmera principal com abertura de foco 1.9 e câmera frontal de 5MP. Ambas possuem recursos como auto real HDR, estabilização óptica de imagem (OIS), e o Burst Shot que pretende acabar com tremido e imagens claras ou escuras demais.
Este aparelho possui funções de controle de luz e de foco elogiada por profissionais e é capaz de fazer imagens com cores vivas e nitidez impecável em alta resolução. Além disso, para quem também gosta de gravar vídeos, é possível gravar em resolução Ultra HD.

Valor: A partir de R$ 2,5 mil.

Nokia Lumia 1020

smartphones com melhores câmeras Nokia-Lumia-1020

Este modelo com Windows Phone é o campeão de megapixels entre os smartphones com melhores câmeras: 41MP na câmera principal. Ela usa a técnica oversampling – que une sete pixels em um super-pixel. Isso mantém a imagem extremamente detalhada e livre de ruídos, sem criar arquivos pesados demais. Na prática, essa técnica transforma imagens de 38 MP em 5 MP, mantendo alto nível de detalhamento e criando arquivos leves e facilmente compartilhados.

O celular ainda oferece estabilização óptica, abertura f/2,2, uma tecnologia que permite zoom sem perda de definição, um flash Xenon e um sensor de 1/1,5 polegada (até cinco vezes maior que os dos concorrentes), a câmera permite tirar fotos praticamente sem nenhum ruído. Infelizmente, a frontal deixa a desejar: 1.2 MP.

Valor: A partir de R$ 850.

Sony Xperia Z5

smartphones com melhores câmeras Sony-Xperia-Z5

Há ótimos modelos com câmeras realmente muito boas, mas é difícil competir com o Z5. São 23MP na câmera principal e 5MP na frontal. O modelo traz um autofoco de 0.03 segundos que promete fotos extremamente nítidas com agilidade, modo HDR, excelente equilíbrio de branco, botões físicos de câmera que facilitam fotografar com apenas uma mão e um zoom de 5x que funciona sem ruídos.

A Sony ainda afirma que é possível tirar fotos em dias ensolarados e de noite sem perder qualidade. Não é à toa que este modelo ganhou o prêmio de melhor câmera de smartphone nos testes do site DXOMark.

Valor: A partir de R$ 2.5 mil.

Moto X Style

melhores cameras smartphones Moto-X-Style

É o modelo top de linha da Motorola. Ele oferece uma câmera traseira de 21MP, com abertura f/2.0 e flash de LED dual-tone (CCT). É capaz de registrar com alta qualidade tanto em ambientes escuros como em situações de alta exposição de luz. A lente é de alta qualidade, registrando imagens com cores nítidas e sem distorções. O aparelho ainda possui foco automático de detecção de fase (PDAF) para quem tem preguiça de utilizar o manual e flash duplo e possui uma tecnologia de correção de temperatura de cor. A câmera frontal é de 5MP e possui um flash para tirar selfies em locais escuros.

O modelo possui ainda a ferramenta Moto Ações que abre a câmera ao chacoalhar o aparelho rapidamente. O Moto X Force, o irmão mais “robusto” deste modelo, oferece uma configuração de câmera parecida, mas com um hardware mais potente.

Valor: A partir de R$ 1,8 mil.

iPhone 6s

melhores cameras smartphones Apple-Iphone6

Os aparelhos da Apple sempre se distinguiram pela qualidade da câmera. Este modelo traz uma câmera principal de 12MP, com capacidade de registrar fotos de até 4608 x 2592 pixels, abertura f/2.2, dois flashs de LED e um sensor extremamente sensível que grava todos os detalhes. A câmera frontal é de 5MP e promete alta nitidez nas selfies. Além disso, o aparelho grava vídeos full HD e Slow Motion de 240 fps.

Valor: A partir de R$ 2.6 mil.

Samsung Galaxy S7

melhores cameras smartphones Samsung-Galaxy-S7

Faz alguns anos que a Samsung e a Apple batalham pelo primeiro lugar no mundo dos smartphones. A verdade é que a câmera do Galaxy S7 se mostra superior a do iPhone 6s. Este modelo da Samsung conta com uma câmera principal de 12MP e com um dos melhores sensores do mercado (sensor BRITECELL). Além de lente f/1.7, Estabilizador Ótico de Imagem (OIS), HDR em tempo real, autofocus, detecção facial, zoom, Dual Shot. Ele também é capaz de tirar ótimas fotos noturnas por causa dos pixels maiores de 1.4µm, que captam mais luz.

A câmera frontal não deixa a desejar: são 5MP de resolução com abertura de f/1.7 e lente grande-angular que permite encaixar um grande grupo de amigos na selfie.

Valor: A partir de R$ 2,5 mil.

Quem é realmente fã de imagens e adora fotografar o seu dia a dia precisa realmente avaliar estas especificações antes de comprar um smartphone. Se você busca ajuda de um especialista para entender qual o melhor modelo para você – incluindo outras questões técnicas além da câmera – deixe seu nome e te avisaremos assim que o Assistente de Compras Shoptutor para smartphone entrar no ar!

Está procurando um Smartphone novo?

Seja o primeiro a utilizar o assistente de compras para Smartphones! Deixe seu email e compre seu próximo Smartphone com a ajuda de um assistente virtual!
[mc4wp_form id=”168075″]

Publicado em

Novo Teclado da Microsoft para iOS facilita digitação

O teclado do smartphone é algo muito pessoal e a luta contra corretores e sistemas de sugestão de palavras é constante para a maioria dos usuários. Pensando nisso a Microsoft lança o Word Flow, um teclado tão bom que agora está chegando até mesmo aos iPhones na App Store. “Se você não pode vencer o seu inimigo, junte-se a ele”. Segundo a Mashable, essa é a filosofia por trás da invasão de apps Microsoft no iOS.

O destaque é a opção do teclado em arco, o que ajuda a realizar o sonho de 99% das pessoas: uma digitação rápida e precisa usando só uma mão. Canhotos também são contemplados pois o teclado pode ser usado tanto no canto esquerdo quanto direito da tela.
Essa opção é algo particularmente útil em telas maiores, como a do iPhone 6s Plus (ou outros smartphones com telas acima de 5 polegadas), onde a distância entre as teclas é maior e quase impossibilita digitar com uma mão só.

Por enquanto, o Word Flow está disponível somente para os iPhones nos Estados Unidos mas, se você inscrever seu email abaixo, nós te avisaremos sobre as novidades do mundo dos smartphones em primeira mão!

[mc4wp_form id=”130986″]